Em carta aberta à população, profissionais reivindicam melhorias no setor de saúde

Por meio de uma carta, assinada por “Médicos de Monte Alto” profissionais comunicam aos montealtenses sua intenção de realizarem uma paralisação a partir de segunda-feira, dia 16. Eles ressaltam que há tempos pedem melhorias no setor de saúde no município e salientam que por três semanas tentaram conversar com o prefeito e com a Secretária de Saúde, mas não conseguiram, assim como, não tiveram respostas das cartas em que pediam reuniões. Sendo assim, decidiram pela paralisação, para que sejam ouvidos e seus pedidos sejam atendidos, dizem no documento transcrito abaixo, na íntegra.

Em entrevista à rádio Cultura na manhã de quarta-feira, 11, durante o programa “A Hora da Notícia”, a Secretária de Saúde Sueli Mello disse que não deixou de atender médicos quando solicitada, assim como o prefeito João Paulo.

Segundo a secretária, a carta é assinada por “Médicos de Monte Alto” mas, segundo informações, nem todos os médicos vão aderir à greve, apenas alguns que não estão de acordo com algumas coisas. Ela esclareceu que existem os médicos concursados na rede e os médicos contratados via prestadora de serviço. Salientou que uma das exigências da administração é que os médicos cumpram a determinação da Promotoria, e também da Lei Trabalhista Federal, que é a carga horária determinada de acordo com concurso pelo qual ingressaram, o que ela disse não acontecer em alguns casos.

Nesta quarta-feira, 11, a Secretária e o Prefeito levaram suas reivindicações à Promotoria para ver qual atitude ser tomada, qual orientação ser cumprida. “Há anos que a Ministério Público do Trabalho pedia que os médicos cumprissem a jornada de quatro horas de trabalho e é isso que passamos a exigir.

Quanto aos profissionais contratados via empresa Humaniza, Sueli ressaltou que “eles não possuem contrato (uma das reclamações dos profissionais) pois não entregaram todos os documentos necessários. Caso algum médico falte na segunda-feira, sem justificativa, vou pedir a sua substituição”.

Ao Imparcial, a Secretária disse que caso haja a paralização, as Unidades Básicas de Saúde estarão abertas e funcionarão normalmente, assim como o Pronto Socorro. “Nenhum técnico de enfermagem está autorizado a desmarcar consultas; todas as pré-consultas serão realizadas, afirmou. A Secretária disse ainda que já encaminhou as respostas aos questionamentos feitos em relação à sua pasta feito pelos profissionais na carta aberta à população.

O Prefeito João Paulo Rodrigues disse, via assessoria de imprensa, que vai aguardar o desfecho da situação para se manifestar e no Facebook da Prefeitura, na sexta-feira, 13, divulgaram a seguinte nota: ”

Nesta semana uma carta repercutiu na imprensa montealtense e nas redes sociais, onde um grupo de médicos faz reivindicações e anuncia a paralisação, com início previsto para a segunda-feira, 16 de outubro.

A Prefeitura de Monte Alto, através da Secretaria de Saúde, condena a prática, desencadeada após exigência que os profissionais permaneçam as 4 horas diárias a serviço da população.

Além disso, a carta não é assinada por qualquer profissional. A escolha pela paralisação não é compartilhada por todos os médicos, como o documento se faz entender. O incômodo surgiu de uma parcela dos médicos que se nega a utilizar o ponto digital, conforme orientações do Ministério da Justiça do Trabalho e Promotoria de Justiça.

Concluindo, o médico que não comparecer ao trabalho será imediatamente substituído. A empresa contratada para a prestação de serviços, assim como a rede municipal de saúde, já está preparada.

Saúde é um direito de toda população e um compromisso nosso. Os médicos trabalharão pelo período que são pagos e a população receberá atendimento de qualidade. Caso você, munícipe, se depare com alguma situação em desconformidade com o que aqui foi dito, ligue para (16) 3242-9783.”.

 

Carta Aberta dos Médicos à População de Monte Alto

Pedimos este espaço para falar com a nossa querida população do município de Monte Alto

Agradecemos, desde já, a atenção de vocês.

A saúde de Monte Alto está na UTI. Decidimos, em conjunto, esclarecer a vocês, os motivos da nossa tristeza e indignação, além das atitudes que nos vimos obrigados a tomar.

Há muito tempo, nós médicos, estamos solicitando melhorias na saúde, tais como:

1 – rapidez na realização de exames de laboratórios e exames de imagem, como urina, Hemograma, Raio-X, Ultrassom, Tomografias,  pois quem já precisou sabe o quanto demora, como por exemplo, urina (até 1 mês), ultrassom de gestantes (3 meses), tomografias (até 1 ano), nos atendimentos do Pronto Socorro entre tanto exames, nos casos de pacientes com suspeita de infarto necessário se faz a realização de exames denominados CKMB e TROPONINA, cujo exame deve ser realizado de imediato para se evitar risco de morte; no entanto, tais exames somente são fornecidos entre 4 e 6 horas após a solicitação.

2 – falta de medicamentos na farmácia: ficamos meses sem medicamentos simples para pacientes com hipertensão e também sem antibióticos importantes nos tratamentos de pneumonias, infecções urinárias, dentro tantos outros.

3 – retorno das farmácias aos postos dos bairros, pois vemos dia-a-dia, a dificuldade dos idosos e dos pacientes que não tem meios de locomoção para irem até o centro buscar medicamentos que deveriam ser entregues nos postos próximos ao seu domicílio.

4 – aumentar os serviços de suporte como nutricionistas, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, psicólogos, pois os que estão na rede ficam sobrecarregados com a quantidade de trabalho e isso gera uma fila de espera de meses ou até anos.

5 – melhorias nas estruturas físicas como salas de curativos com macas adequadas, material e produtos de qualidade, cadeiras suficientes nos corredores, áreas para crianças nos postos de atendimento dos pediatras, pois todos os dias vemos nos corredores mães cansadas com seus filhos nas cadeiras, idosos sentados no chão aguardando atendimento, e até gente sentada na beira da calçada por falta de estrutura física e péssimos planejamentos das nossas unidades, a, implantação de prontuário on-line dos pacientes permitindo que o médico conheça o histórico clínico do paciente de maneira rápida e eficaz, evitando demora desnecessária para saber quais foram os exames realizados pelo paciente, o tempo em que foram realizados, permitindo que o médico possa realizar uma melhor análise do quadro do paciente, sendo eficaz o atendimento.

6 – aumentar a equipe de secretarias dos médicos e de técnicos de enfermagem que tanto nos ajudam, porém estão exaustas e sobrecarregadas por trabalharem para 5 ou 6 médicos, com agendamentos e auxílio nos exames.

7 – manutenções dos salários dos médicos, vejam que aqui não pedimos qualquer aumento pedimos apenas manutenção dos nossos salários, pois nos últimos 2 meses estamos sofrendo reduções salariais e reduções nos nossos vale-alimentação, para os médicos que são concursados, cortes de pagamento nos plantões dos colegas do pronto socorro, sem qualquer redução da carga horária, além de estarmos trabalhando na especialidade (Posto Silvio Govone) há 30 dias sem qualquer contrato de trabalho e sem garantias de que receberemos nosso salário. Porém, não paramos de atender nossas agendas e nem de arcar com nossas responsabilidades, sendo oportuno ressaltar que os Municípios vizinhos de Jaboticabal e Taquaritinga remuneram os mesmos trabalhos médicos em valor que superar em mais de 02 (duas) vezes as remunerações pagas aos médicos de Monte Alto.

Caros munícipes, em meio a todo esse caos que estamos descrevendo, lá está o médico, sim, lá estamos nós, vistos diariamente por vocês como um salvador, como o único que seria capaz de ajudar a você, ao seu pai, a sua mãe, o seu irmão, os seus avós.

Mas não, não somos salvadores, não somos mágicos! Não somos capazes de ajudar vocês, a não ser que nos sejam dadas melhores condições de trabalho. Como vamos trabalhar sem ferramentas? Como vamos fazer diagnósticos sem exames? Como vamos tratar vocês sem remédios? E agora como vamos fazer isso sem salário, e sem os mínimos direitos de trabalho garantidos? Como?

Já tentamos por 3 (três) semanas conversar com o Prefeito e com a Secretária de Saúde, fomos em todas as tentativas, ignorados. Não recebemos respostas nem das nossas cartas marcando reuniões com eles.

Estamos aqui, agora, pedindo duas coisas a vocês:

1 – Pedindo desculpas, pedindo que vocês nos desculpem por não termos mais como atende-los nessas condições, pois, sabemos o quanto vocês precisam dos atendimentos que nós fazemos. Mesmo que não sejam prefeitos, são o melhor que podemos dar. Iremos realizar uma paralização do atendimento a partir da próxima segunda-feira dia 16/10 para que sejam ouvidos, para que nossos pedidos sejam atendidos. Vejam bem, não pedimos demissão de nossos empregos, apenas queremos melhores condições para continuar trabalhando;

2 – Pedimos o apoio de vocês para que essa luta que estamos iniciando seja breve, e que lutemos juntos por essas melhorias. Pedimos que vocês entendam que os médicos estão unidos, como nunca, para lutarmos por tudo isso, e que venceremos, e a nossa vitória será dedicada a cada um de vocês!

Agradecemos o espaço que nos foi cedido, e esperamos que tudo de certo!

Médicos de Monte Alto

 

 

 

Publicidade